“vem de um corpo feito chama
feito lâmina a abrir espaço na tarde
vem de um corpo canção que enche a boca
vem de encontro à semente, na colisão
genesíaca das coisas primeiras, ainda sem nome,
e eu sou um criador nesse quarto de palavras.
vem das coisas líquidas se é corpo que se bebe
que se traga e preenche e inunda e alaga.
o corpo elevado a algo de fé, porque sempre cego
avança, que paralisa com meneios de serpente
e adocica como fruta mordida.”

Sem comentários: