Perto do espelho, onde a espessura da máscara diminui e se liquefaz, sinto-me estranha. O meu compromisso com o que sou não me deixa tanto espaço para o compromisso com o que tenho sido. E sou a mesma, sendo outra, mais autêntica. No reajustamento da minha configuração tectónica, é complicado compreender a amplitude dos abalos. E há pequenos sismos, consistentes, com réplicas diárias que têm aroma de verdade. 
E vai-se diluindo a estranheza, talvez. E vai ficando menos pesado o acordar pesado para o dia que queria riscar do calendário.

Texto de Baudolino aqui

11 comentários:

je suis...noir disse...

(E um dia esse dia vai ser apenas uma memória muito antiga...))

Beijo

UIFPW08 disse...

Linda Foto Parabens
Morris

Antônio LaCarne disse...

encantadíssimo com o blog. muito inspirador. parabéns, visitarei mais vezes!

S disse...

je suis...noir
sim...

um beijinho



Morris,
obrigada



Antônio Lacarne,
Obrigada. Volte sempre.

via disse...

delinear uma forma, cést ça. se posível nova.

Pedro Ponte disse...

mais uma combinação fenomenal entre a escrita e a imagem!... ADOREI! e aproveito para dar os parabéns pelo novo site que está lindo! :)

Pedro Ponte disse...

ah... já agora bons santos... são sempre cheios de surpresas, alegrias e momentos que nos mudam a vida! :) hehehe

S disse...

via,
por vezes é tudo uma questão de oportunidade.


Sr. Ponte,
São Pedro, o meu santo padroeiro nunca me deixou ficar mal!
;)

alberto cabero fotografia disse...

atrapadora imagen como siempre sonia
se echaba de menos tu magia por aqui
bjs

S disse...

alberto,
obrigada, beijo grande!

:)

alberto cabero fotografia disse...

joder!!! eres la mejor con los reflejos y los negros!!!!!